Explicar a psicologia a crianças





Fui à escola do meu filho falar sobre o que faço profissionalmente. Preparava-me para ter de explicar como é que se produzem mudanças pela brincadeira ou pela conversa. Mas não. Parece que essa é dúvida de adultos e não de crianças.

Gostei particularmente de quando disse que o psicólogos não podem dar consultas aos familiares e amigos, e um menino diz "Mas a minha psicóloga é minha amiga!" Perguntei se já era amiga antes de ser psicóloga dele, ele disse que não, e eu acrescentei que então isso era bom, porque convém nós nos sentirmos bem com o nosso psicólogo.

Noutro tom, mais de um menino disse estar muito preocupado com os pais que se separaram, ou que eles e os familiares ficaram tristes quando alguém morreu.

O melhor de tudo foi a aceitação de que isto de ir ao psicólogo é uma coisa normal, que todos nós podemos precisar. Muito mudou desde que entrei na faculdade, em 1992, altura em que algumas pessoas ainda reagiam com um misto de desconfiança e medo... "Não me analises!"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Se ela se portar mal, ponho-a na Super Nanny"

As mães e as bruxas

Wilde, Nietzsche e Pixies